Bolsa
IBOVESPA
|
Câmbio
Dólar |
Euro |
Peso Arg |
Ouro (onça) |
Geral
11/03/2019 09:56
Dia Internacional da Mulher: A importância da mulher na sociedade

O Dia Internacional da Mulher reforça a importância da participação da mulher em nossa sociedade

O Dia Internacional da Mulher reforça a importância da participação da mulher em nossa sociedade, sobretudo serve para ampliar a conscientização sobre a valorização e o empoderamento feminino.
Nossa reportagem manteve contato com duas personalidades expressivas da nossa comunidade, que é a promotora de Justiça, Dra. Cristiane Aparecida Ramos e a juíza de Direito, Dra. Maria Teresa Thomaz. Elas gentilmente atenderam nosso pedido para comentar sobre a importância da participação da mulher na sociedade.
A juíza diz que ao falar sobre o papel da mulher na sociedade, ela lembra do primeiro direito da mulher em relação a isso, que foi o direito do voto. “Já tem quase 100 anos que a mulher adquiriu o direito de voto e posteriormente o direito de participar do pleito político através da candidatura a um cargo eletivo, seja municipal, seja estadual, seja federal. Hoje, inclusive, nós temos leis que asseguram a participação da mulher nos cargos eletivos, que deve ter um percentual adequado, razoável de mulheres participando na política, então eu diria que conquistamos diversos direitos relacionados a participação da mulher na sociedade. Antigamente quando a gente falava por exemplo da participação da mulher na sociedade nós não víamos isso de uma maneira tranquila, porque a mulher ela tinha sido criada para ser a mãe de família, para ser a mulher que cuida dos afazeres da casa, e ai com o passar dos anos com as conquistas dos direitos dos trabalhadores a mulher teve que sair de casa para trabalhar, muitas vezes para complementar a renda do marido e muitas vezes ela mesmo para fazer frente as despesas de casa. Sabemos que a realidade de hoje é muito diferente da que foi há uns anos atrás. Eu sempre digo que, independente de quem é a mulher, se é a mulher dona de casa, a mulher comerciante, a mulher que trabalha na indústria, a mulher autoridade pública, ela pode ser o que quiser, ela pode estar aonde quiser e é isso que a gente vê hoje quando se fala em empoderamento feminino que nada mais é do que a mulher ter noção do papel dela, que pode galgar o mesmo cargo que um homem, pode sim realizar o mesmo tipo de trabalho que um homem. Hoje nós vemos mulheres motoristas, mulheres taxistas, mulheres trabalhando na roça, mulheres juízas, mulheres delegadas, mulheres gerentes de empresas, cargos que alguns anos atrás a gente não via e que não era aceito. Então foi uma conquista que vem crescendo e que foi feita com o passar dos anos e com uma mudança da mentalidade da sociedade. Eu que tenho um filho homem e desde criança eu ensinei ele a respeitar a mulher, respeitar a individualidade da mulher, porque homem nenhum tem o direito de proibir o trabalho da mulher. Vivemos hoje numa fase de empoderamento feminino e a mulher pode estar aonde ela quiser, ela pode ser quem ela quiser, mas a primeira coisa que ela precisa fazer é reconhecer isso, ter autoestima suficiente, reconhecer o papel dela e que ela pode ir além do que ela imaginou e começa dentro de casa”, ressalta.

 

Fonte: Folha da Terra


PUBLICIDADE